DIA DO ESTUDANTE DE DIREITO: CONHEÇA TRAJETÓRIA DE ALUNO DESTAQUE

Cursar a faculdade de Direito é uma das escolhas na vida que enche o peito de orgulho. Do próprio aluno, de familiares e até de amigos. A conquista é tão importante que faz até quem já nem precisaria mais ir atrás de outra qualificação, optar pela sabedoria e os desafios da área do Direito. Octavio Penna Pieranti, 38 anos, é um deles. Doutor em Administração, pós-doutor em Comunicação e coordenador na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Octavio decidiu mergulhar novamente na vida acadêmica e escrever mais um capítulo da vida como estudante de Direito do Centro Universitário IESB.

“Se dediquem ao máximo, leiam bastante, se disponham a aprender e pensar diferente, lembrando que cursar uma faculdade, no Brasil, ainda é privilégio de uma minoria. Que aproveitem, portanto, esse privilégio para crescer pessoal e profissionalmente”, indica. Octavio encarou os corredores de Centro Universitário após dez anos de carreira no serviço público. Segundo ele, era a chance de se aprimorar profissionalmente. O que trouxe na bagagem, a vasta trajetória como pesquisador com foco em regulação e políticas públicas, deu espaço para temas relacionados à área do Direito.

De acordo com Octavio, a corrida em busca de novos conhecimentos deve ser constante. “Quem não faz isso costuma ficar estagnado e, a médio prazo, sem perspectivas de avançar, mudar e se reinventar”. Nesse contexto, para ele, a graduação é um suporte para escolher diferentes caminhos durante a trajetória profissional. Na última segunda-feira (18), o então estudante defendeu o resultado dos anos de graduação: o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), com o tema “O processo sem fim – morte, vida e sobrevida de consignações de emissoras de radiodifusão”.

O trabalho retrata um caso emblemático que já dura 32 anos: a tentativa de empresas públicas, a Radiobrás e a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), “de transferir emissoras que pertenciam à elas e de devolver canais que não seriam utilizados para o Ministério das Comunicações”, conta o recém aprovado.

Do caso foi possível discutir o conceito de Serviço Público, a Legislação de Radiodifusão, a relação entre empresas públicas e o Poder Executivo, além de várias outras temáticas do Direito Constitucional e Administrativo. “ A banca foi, a meu ver, extremamente proveitosa. Os professores fizeram boas sugestões, se dedicaram ao debate, foi uma banca que eu considero acompanhada por um grande número de estudantes, chegou a bater ali em alguns momentos mais de 60 pessoas acompanhando a sessão de defesa do TCC. Então, eu acredito que, pelo menos pra mim, a banca foi enriquecedora”, afirma Octavio.

Últimas Notícias



Veja mais